Roma em Português

7 Imperadores e seus monumentos em Roma

Ara Pacis em Roma

Para entender alguns monumentos é imprescindível saber a história de alguns imperadores em Roma.

Selecionei sete imperadores que têm as suas histórias ligadas a monumentos que você vai visitar com certeza em Roma, como o Coliseu e o Fórum Romano, Pantheon e Fontana di Trevi, para que você possa pelo menos começar a se familiarizar com seus nomes, períodos em que foram imperadores e o que fizeram de importante. Aí vão eles:

1. Imperador Augusto (dinastia Júlio-Claudia), 23 a.C-14 d.C.
“Primus inter pares”, Augusto não quis ser imperador, apesar de ser considerado o primeiro. Após uma sanguinária guerra civil, o “garoto” chega ao poder onde permanece quase 40 anos em um período tranquilo e caracterizado pelo florescer das Artes em um estilo elegante e sóbrio.
Construiu o Ara Pacis. Seu braço direito, Agrippa, construiu o aqueduto Virgem, que traz água até hoje à Fontana di Trevi e o primeiro Pantheon, que não é o que vemos hoje, pois apesar da inscrição nos dizer que foi Marco Agrippa que o construiu (coisa que causou muita confusão no até o passado recente), o edifício que vemos hoje foi reconstruído por Adriano.

Ara Pacis em Roma

2. Imperador Nero (dinastia Júlio-Claudia), 54d.C.-69 d.C. – período anterior à construção do Coliseu
Perído glorioso do império, que acabava de ter transformado o Egito em uma espécie de província com um status especial (Augusto).
Todos os passeios ao Coliseu começam, pelo menos, com a história do incêndio de Roma durante o período em que Nero era imperador e construiu um lago artificial na Domus Aurea, a sua casa em Roma.
Nero é também lembrado quando você vai aos Museus Vaticanos e Praça São Pedro, pois segundo a tradição, o circo onde morreu o Apóstolo Pedro e onde foi construída a basílica de São Pedro pertencia ao Nero.
Famosas as últimas palavras de Nero antes de morrer, que chegou até nós através dos escritos de Suetônio: Qualis artifex pereo!, “e que artista morre comigo!”, fato que ocorreu numa mansão do campo de um ex-esravo chamado Faonte, na Via Nomentana.

 

 Reconstrução lago da Domus Aurea em reção ao Coliseu, guia brasileira em Roma

3. Imperador Vespasiano (família Flávia), 69d.C.-79 d.C. – Coliseu
Vespasiano, aclamado pelas tropas foi eleito imperador e após ter suprimido a revolta judaica do ano de 66 d.C. em Jerusalém, iniciou a construção do grande monumento que marcaria a história da engenharia e arquitetura do mundo ocidental, o Coliseu.

Coliseu , Vespasiano, Guia Brasileira em Roma

4. Imperador Tito (família Flávia), 79d.C.-81 d.C. – Coliseu e Arco de Tito
Morto seu pai, Vespasiano, Tito finalizou a construção do Coliseu, que tinha acompanhado desde o início, e inaugurou o monumento em 80 d.C.

 

Arco de Tito, detalhe do interior do Arco com o Menorah durante o triunfo

5. Imperador Traiano, 98 d.C. – 117 d.C.  – Fórum Traiano, Coluna Traiana
Traiano, o grande imperador extremamente ligado ao exército por ter sido um grande general e ter conquistado o que chamamos hoje de Romênia (e na época se chamava Dacia), construiu o mais majestoso dos Fóruns, talvez com o arquiteto Apolodoro de Damasco. Como a Dacia tinha enormes jazidas de ouro, a sua conquista representou do ponto de vista econômico, um dos maiores espólios de guerra que chegaram em Roma. E isso explica por que o Fórum de Traiano é considerado o mais majestoso de Roma.

 

Forum Traiano, visita noturna, guia brasileira em Roma

6. Imperador Adriano (família Antonini), 117d.C.- 138d.C. – Castel Sant’Angelo
O imperador que repudiava a guerra e amava a Grécia, a Arte e a Arquitetura realizou seu mausoléu às margens do Tibre na primeira metade do século II d.C.. Hoje é chamado Castel Sant’Angelo, um grande museu, com uma das vistas mais bonitas sobre Roma.

Villa Adriana, estudando, guia brasileira em Roma - Templo Diana

A Villa Adriana é um dos passeios imperdíveis dos arredores de Roma.
O livro de Marguerite Yourcenar publicado em 1951 e que venceu o prestigioso “Prix des Critiques” (veja a sessão de livros e filmes sobre Roma) nos dá uma boa ideia sobre este imperador tão especial.

7 imperadores para entender o básico de Roma, guia brasileira em Roma

7. Imperador Constantino,  306 d.C. – 337d.C. Arco de Constantino, Basílica de São Pedro, Basílica de Sâo Paulo e Basílica de São João em Latrão  
Final do império. Decadência e grandes problemas políticos e econômicos são o prato do dia do seu império.Este imperador decretou o Édito de Milão através do qual os cristão finalmente obtinham a liberedade de culto da própria religião; ele orgranizou o Conselho de Nicea na Turquia, ao qual  parteciparam entre 220 e 318 bispos que decidiram que Jesus Cristo é consubstancial ao Pai (isto é, tem origem divina) e oficializaram o dia da Páscoa no primeiro domingo de lua cheia após o equinócio de Primavera.

Constantino será mencionado nos passeios ao Coliseu por ter tido o Arco de Constantino erguido em sua homenagem entre 315-325 d.C. e durante a sua visita aos Museus Vaticanos, Capela Sistina e Basílica de São Pedro, pois foi ele que ordenou a construção da Basílica de São Pedro, também chamada de Basílica Constantiniana (da Basílica de São Paulo e da Basílica de São João em Latrão).

Para escrever posts como são necessários anos de estudo sobre Roma. Visite Roma com uma guia autorizada e com experiência para aproveitar ao máximo a sua estadia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *